quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

-Mãe, engoli o mar.

Pelos olhos, também entrou por aí, por aqui, onde respiram narinas, sal nos ouvidos, sons, a boca secou, zunindo o sol que bambeia pernas magrelas e escuras, xique-xique de areia, nem flanela, nem água doce, o mar entrou voluptuosamente, afoito e violento engolindo menino engolindo mar.

Um comentário:

  1. Mal sabe o menino que aos poucos está engolindo a vida.

    ResponderExcluir